Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

jlopez

jlopez

Jennifer Lopez protagoniza cenas quentes em novo filme

Jennifer Lopez protagoniza cenas quentes com Jason Statham

 

Ao lado de Jason Statham, atriz protagoniza o longa Parker

 

Os atores Jennifer Lopez e Jason Statham protagonizam cenas quentes no filme Parker, que estreia em janeiro nos Estados Unidos.

No trailer do longa, os dois aparecem se beijando debaixo do chuveiro e Jennifer mostra que chegou aos 43 anos muito bem fisicamente.

Em outra cena, J-Lo é vista somente de calcinha e sutiã, enquanto Statahn surge vestido de padre.

Parker tem direção de Taylor Hackford, o mesmo de Advogado do Diabo e Ray, e ainda não tem data definida para estrear no Brasil.

 

 

Fonte: Contigo

'Plano B': Assistam ao trailer do novo filme de Jennifer Lopez

Após anos sem aparecer num filme de sucesso, Jennifer Lopez promete um bom retorno. O filme já tem o seu primeiro trailer, e mostra a actriz no gênero que a tornou conhecida.

A actriz estrela a comédia romântica 'Plano B' (The Back-Up Plan), que estreia dia 02 de Julho no Brasil. E ganhou o primeiro clipe.

Desesperada para ter um filho, mulher decide recorrer à inseminação artificial utilizando o esperma de um doador. Porém, no dia em que seu exame de gravidez dá positivo, ela conhece o homem de seus sonhos.

Confira o clipe:

 

 

Fonte: Cine Pop

«Romance Perigoso» é eleito o filme mais «sexy» de sempre

 

«Romance Perigoso», co-protagonizado por Jennifer Lopez e George Clooney, em 1998, foi eleito o filme mais «sexy» de sempre, pelo jornal britânico The Sun. O filme arrecadou 77,7 milhões de dólares e foi nomeado para o Óscar de Melhor Edição e Melhor Argumento Adaptado.

A longa-metragem de Steven Soderberg foi seguida por «His Girl Friday», de Howard Hawks, protagonizado por Cary Grant e Rosalind Russell, de 1940. O polémico «Mr. e Mrs. Smith», durante o qual Brad Pitt e Angelina Jolie se apaixonaram, ficou em terceiro lugar.

O quarto posto da lista dos filmes mais «sexy» de sempre ficou para «Body Heat», de Lawrence Kasdan, seguido de «Don´t Look Now», de Nicolas Roeg, e de «Y Tu Mamá También», de Alfonso Cuarón, o mesmo realizador de «Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban».

«O Último dos Moicanos», de James L. Conway, «A Walk on the Moon», de Tony Goldwyn, e «Antes do Pôr-do-Sol», de Richard Linklater, encerram a lista.

 

 

Fonte: Diário Digital

Encontro em Manhattan - HOJE NA SIC

Não percam hoje na SIC, o filme "Encontro em Manhattan" com a Jennifer (claro), logo a seguir ao "Entre Vidas". Uma típica comédia romântica, muito gira.:) Deixo-vos aqui uma sinopse do filme, como já fiz anteriormente com o "Basta". Não percam dentro de poucos minutos na SIC. Agradecimentos à Diana pela informação.

 

 

 

"Maid in Manhattan" (2002 - 101m)

 

 

Será que duas pessoas de mundos diferentes podem ultrapassar essas diferenças e viverem felizes para sempre? Do aclamado realizador Wayne Wang (A Minha Mãe, Eu e a Minha Mãe), e interpretado ainda por Natasha Richardson, Stanley Tucci e Bob Hoskins, ENCONTRO EM MANHATTAN é 'Romântico! Divertido! Enriquecedor!' (Neil Rosen, NY1) 


Realizador
. Wayne Wang

 

Intérpretes
. Jennifer Lopez
. Ralph Fiennes
. Natasha Richardson
. Stanley Tucci
. Tyler Posey
. Frances Conroy
. Chris Eigeman
. Amy Sedaris
. Marissa Matrone
. Priscilla Lopez

 

SINOPSE
Marisa Ventura (Jennifer Lopez - A Cela, Resistir-lhe é Impossível) é uma batalhadora mãe solteira que trabalha num hotel de luxo e sonha com uma vida melhor para ela e para o seu pequeno filho (Tyler Posey).
Num dia de sorte, um cliente do hotel e candidato ao Senado, Christopher Marshall (Ralph Fiennes - Paciente Inglês, Dragão Vermelho) encontra Marisa e confunde-a com uma rica mulher da sociedade. Depois de uma encantadora noite juntos, os dois apaixonam-se perdidamente. Mas quando a verdadeira identidade de Marisa é revelada, as diferenças de classe e de estatuto social ameaçam separá-los.

 

Fonte: dvdpt

 
 

 

Críticas ao filme "Basta"

Devido a ter dado hoje o filme "Basta" na televisão portuguesa, decidi fazer uma busca e ver o que as pessoas acharam do filme e as suas críticas. Deixo os links oficiais de onde tirei a informação para quem queira visitar.. Aqui ficam algumas opiniões:

 

fotografia

 

CRITICA 1: 

Alguém já disse - ou escreveu, não sei - que «Basta» era a versão de Hollywood do caso de Catarina Talon. Só que aqui, depois de ser zupada pelo marido, Jennifer Lopez, em vez de ir escrever livros, de aparecer até à exaustão nos programas matinais, nos «talk shows» da SIC e TVI e nas capas das revistas do coração, transforma-se numa espécie de símbolo justiceiro para-feminista de todas as mulheres maltratadas e vai fazer ao marido espancador o que o Chuck Norris costuma fazer aos vilões nos filmes dele: chegar-lhe a roupa ao pelo valentemente. O mesmo é dizer que «Basta» é muuuuuuuuito mau! Espero que Michael Apted tenha sido bem pago, porque fica com uma mossa das grandes na sua digna filmografia.

Deu 0 votos

 

 CRITICA 2:

Foi o filme que demonstrou do que as mulheres são capazes de fazer quando são maltratadas

Deu 5 votos

 

CRITICA 3:

Quase uma comédia involuntária este risível "Enough".
A credibilidade do filme está à altura do seu central twist: Jennifer Lopez, de esposa maltratada, transforma-se num ápice numa espécie de Van Damme de saias e dá uma carga de porrada ao marido violento.
Michael Apted, que já tinha feito alguns bons filmes - "O Mistério de Gorky Park", "O Mistério de Agatha" e "Nell" - espalha-se agora ao comprido neste filme desaconselhável.
Uma estrela para a miúda que interpreta a filha de Lopez (com tiradas deliciosas), para a voz de Juliette Lewis (o que está ela ali a fazer?!) e para o tema "Enough" cantado por Aimee Mann.
Jorge Silva

Deu 1 voto

 

CRITICA 4:

ATÉ QUE A MORTE NOS SEPARE...
Pode um filme possuir em muitos momentos da sua criação uma realização muito mais que aceitável – boa, mesmo -, debater uma temática pertinente e séria no contexto actual das nossas sociedades e ao mesmo tempo tornar-se num produto fílmico algo insipiente e inverosímil? Infelizmente, «Basta» prova-nos que sim. Realizado por Michael Apted, um britânico em cujo currículo se exibe o excelente «Medidas Extremas» (1996), o filme aborda não apenas a questão da violência conjugal como o drama com que muitas mulheres convivem pela impossibilidade de acederem ao desejável por motivo da sua débil condição conjugal: o divórcio. Um filme, aliás, que pelos seus decurso e temática nos traz imediatamente à memória um outro datado de 1991 e que tinha Julia Roberts e Patrick Bergin nos principais papeis: «Sleeping With the Enemy», então numa realização de Joseph Ruben. No entanto, em «Basta» os excessos do argumento traem irremediavelmente as sérias intenções do debate e alguns bons momentos de “suspense” que a realização de Apted imprime à narrativa.
O filme inicia-se desde logo de um modo pouco auspicioso que promete aquilo que felizmente não cumpre na totalidade: mais uma incursão banal e fútil de um certo cinema dito de entretenimento pelo melodrama romântico mas cuja real e única preocupação são os resultados da bilheteira. Quando Slim (Jennifer Lopez) conhece Mitch (Bill Campbell) em situação algo incaracterística e, posteriormente, na fase de idílio do noivado, este resolve tocar à campainha da porta de uma luxuosa mansão e com indisfarçável arrogância colocar nas mãos do seu dono, que nem sequer tinha a casa à venda, um cheque de várias centenas de milhares de dólares a que este não pode renunciar, teme-se o pior para o que nos resta da fita. Mas não e até a sugestão de que a aparição na vida de uma jovem empregada de restaurante de um homem muito rico lhe serve como modelo de felicidade é bem sustentada naquilo que se segue na trama. Isto porque em breve Slim irá perceber que o príncipe dos contos de fadas que acreditava ter como marido é afinal alguém com inúmeras e insuportáveis imperfeições. E a felicidade por si sonhada e vivida passa imediatamente a uma infelicidade que vive como um fardo, uma maldição da qual tem dificuldades em se libertar. Privado dos seus alibis, Mitch torna-se um marido prepotente e violento. E não permite que a mulher o abandone.
É pois nesta fase do filme que adquire alguma relevância o trabalho capaz de Michael Apted como realizador. Na fuga que Slim irá empreender com mudanças bruscas de cidade, de estilo de vida e com perseguições de automóveis à mistura, o realizador demonstra uma relevante agilidade mental e competência no manuseamento da câmara e na forma como procedeu à montagem de cenas. Apesar disso, é deficiente a composição dos perfis das personagens e demasiado estereotipada e virada para uma apreensão fácil e algo aparatosa a sua relação com os demais elementos sociais presentes, nomeadamente no caso de Mitch. E se bem que até em questão de impedimentos legais e dificuldades burocráticas processuais que uma esposa encontra num caso destes de violência conjugal o filme demonstra preocupação em evidenciar, é no mínimo ridícula a forma de desenlace final. Como se a seriedade do problema real em discussão se diluísse nos meandros da ficção. Dito de outra forma, o que acontece com Slim e Mitch no final do filme apenas é passível de acontecer exactamente porque se trata de um filme, de criação em cinema. E isso não credibiliza a película lançando-a para a indesejável prateleira onde depositamos aqueles filmes simplistas para consumo fácil e de fugaz retenção pela memória. Em termos de interpretações, as personalidades físicas e, sobretudo, dramáticas de Jennifer Lopez e Bill Campbell assentam que nem uma luva ao espírito que se sente pertencer ao filme no seu conjunto. Ou seja, esclarecendo, estão bem e sem grandes erros ou omissões nas suas interpretações mas em momento algum acreditamos que aquilo lhes está a acontecer. E é pena, especialmente por Michael Apted. Até porque, neste caso, o presente para si não cumpriu a promessa do passado. A promessa, essa, estabelecera-a com o já referido «Medidas Extremas».
Joaquim Lucas
(7arte.net)
2002.11.09

Deu 2 votos

 

 

 

 

 Fonte: http://www.cinema2000.pt/ficha.php3?id=3241 

"Basta"/"Enough" - HOJE NA TVI

Não percam hoje na TVI, o filme "Basta" com a Jennifer Lopez. Recentemente a Jennifer confessou que enquanto gravava este filme teve uma crise nervosa. Deixo-vos aqui uma sinopse do filme e não percam hoje na TVI. Para mim, um dos melhores da Jennifer.:)


fotografia
 

Ano: 2002
› estreia nacional: 08 de Novembro de 2002
› estreia mundial: 24 de Maio de 2002

País: EUA
Género: Drama, Thriller

Realização
Michael Apted

intérpretes
Jennifer Lopez, Bill Campbell, Juliette Lewis, Dan Futterman, Noah Wyle

Sinopse
A vida de Slim, uma empregada de mesa, transforma-se quando ela casa com Mitch, um empreiteiro. Ela tem tudo o que quer: um marido carinhoso, uma casa bonita e Gracie, a sua filha. O seu sonho é destruído quando ela descobre que o seu marido é tudo menos perfeito. O seu comportamento abusivo força-a a fugir. Quando, apesar do seu empenho para refazer a sua vida, Mitch a encontra e ameaça de novo, ela coloca Gracie em segurança e fortalece-se mental e fisicamente para provar a Mitch que para ela basta.

 

Jennifer Lopez será babysitter ladra no regresso ao cinema

 

 

Jennifer Lopez vai regressar ao grande ecrã no papel de uma falsa babysitter, que, na realidade, é uma ladra profissional, em «The Governess», de acordo com a revista Variety.

A actriz norte-americana, de origem porto-riquenha, confirmou o seu regresso à sétima arte, depois de um afastamento de alguns meses, devido à gravidez e ao parto dos seus gémeos, os primeiros filhos, fruto do seu casamento com o cantor Marc Anthony.

Na comédia romântica, ainda sem data de estreia marcada, a também cantora, de 39 anos, vai fazer passar-se por uma ama de três crianças ricas, provenientes de uma poderosa família, que a sua personagem planeia roubar.

Lopez também está envolvida noutro projecto cinematográfico, «Love And Other Impossible Pursuits», que deve estrear já no próximo ano.